3/04/2017

VENCENDO AS TENTAÇÕES

REALIZAR A JUSTIÇA DO REINO

No Evangelho vemos Jesus que é tentado e como ele resiste o mal. Ele veio para realizar a justiça do Reino de Deus e o diabo vai tentá-lo bem aí: na sua missão.

Primeira - Realizar a justiça do Reino, mediante a abundância-riqueza (vv. 1-4).O demônio quer que as coisas aconteçam através do milagre, da mágica. Mas Jesus se recusa a ser o Messias da abundância: "Não só de pão vive o ser humano, mas de tudo o que procede da boca do Senhor (cf. Dt 8,3). A palavra que sai da boca de Deus propõe liberdade e vida através da solidariedade e partilha. É assim que o Reino será construído. Foi um grande não ao deus mercado-consumismo.

Segunda - Realizar a justiça do Reino mediante o prestígio-fama (vv. 5-7).O
demônio convida Jesus a precipitar-se da parte mais alta do Templo e alude à Escritura, que diz que os anjos o acudiriam. Quer dizer, manipular Deus a seu favor: Jesus é tentado a abusar do poder de Deus para se livrar das morte e dar uma demonstração pública de prestígio. É tentado a ser vedete: a ser estrela, a buscar prestígio e glória, a ser o Messias do sensacionalismo. De novo Jesus responde com a Bíblia na mão. "Também está escrito: Não porás à prova o Senhor teu Deus!” Foi um grande não ao deus fama-prazer-sexo-corpo.

Terceira - Realizar a justiça do Reino, mediante o poder. O demônio é
insistente. Leva Jesus agora para um monte muito alto. Mostra-lhe todos os reinos do mundo e suas riquezas e lhe diz: "Eu te darei tudo isso, se caíres de joelhos para me adorar". A ousadia do demônio leva à inversão mais radical. Mas Jesus se recusa a ser o Messias do poder. Quem exerce o poder oprime e explora. De novo Jesus responde com a Bíblia na mão. "Vai-te embora, Satanás, pois está escrito: Temerás o Senhor teu Deus, a ele servirás e só por seu nome jurarás" (cf. Dt 6,13). Foi um grande não ao deus dominador-explorador, latifundiário, devastador da natureza...

        Vencidas as tentações: Jesus proclama a justiça do Reino através da partilha, cumprimento da vontade do Pai e do serviço aos irmãos até a doacão da própria vida.
joaobortoloci@bol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário