9/29/2011

ADORAÇÃO EUCARÍSTICA - ANIMAÇÃO MISSIONÁRIA


ADORAÇÃO EUCARÍSTICA 

ANIMAÇÃO MISSIONÁRIA 


Os sete êxodos.
(Baseada no texto de D. Orlando Brandes)




SAÍDA DE SI:

Leitor 1: “Jesus viu outros dois irmãos: Tiago e João filhos de Zebedeu. Estavam na barca com seu pai Zebedeu, consertando as redes. E Jesus os chamou. Eles deixaram imediatamente a barca e o pai, e seguiram a Jesus.” (Mt 4, 21-22)

Leitor 2: Este é o primeiro êxodo. Sair de si, dispor-se, desapegar-se, estar livre de qualquer amarra interior. A missão além-fronteiras começa num “coração além-fronteiras”, esvaziado de si, cheio de gratuidade. 

Oração 
Senhor Jesus, faça crescer nossos corações para que possamos amar nossos irmãos, os de perto e os que moram longe. Dá-nos a capacidade de nos doarmos sem as amarras do egoísmo. E que na tarefa do anúncio da tua mensagem não haja inveja, nem competição. Amém
Cantemos:
Senhor, Tu me olhaste nos olhos, a sorrir, pronunciaste meu nome, lá na praia, eu larguei o meu barco, junto a ti, buscarei outro mar.


SAÍDA DE CASA:

Leitor 1: “Se alguém vem a mim, e não dá preferência mais a mim que ao seu pai, à sua mãe, à mulher, aos filhos, aos irmãos, às irmãs, e até mesmo a sua própria vida, esse não pode ser meu discípulo.” (Lc 14, 26)

Leitor 2: Deixar a família, libertar-se dos laços afetivos; amar mais a Jesus que o pai e a mãe implica o “corte do cordão umbilical”, uma conquista da liberdade afetiva. O Missionário além-fronteiras coloca Deus e a Missão em primeiro lugar e sobre todas as coisas. Quem pensa no além-fronteiras deixa a novela, o noticiário, os projetos pessoais e se põe na estrada, vai ao povo, bate nas portas, visita as casas. 

Oração:
Senhor Jesus, nós te pedimos que sejas o centro das nossas vidas. Que tudo o que façamos ou pensamos seja para a tua maior glória e vida nova para nossos irmãos. Amém.

Cantemos:
Tua voz me fez refletir, deixei tudo pra te seguir, nos teus mares eu quero navegar. (bis)

SAÍDA DA PARÓQUIA:

Leitor 1: “Tenho também outras ovelhas que não são deste curral. Também a elas eu devo conduzir; elas ouvirão a minha voz e haverá um só rebanho e um só pastor” (Jo 10, 16).

Leitor 2: Sair da sacristia, do templo, da paróquia, da diocese e ir para longe não é fácil. Pessoas apegadas à diocese, paróquia ou congregação, não se dispõem a ir para fora e para longe. O outro lado da medalha é a inculturação, a adaptação, a inserção na nova realidade. Quem não se adapta à comida, aos costumes, à cultura de outros países, não agüenta a carga da Missão.

Oração:
Senhor Jesus, presente na Eucaristia, dá-nos a coragem de sairmos do nosso comodismo e nos aproximarmos daqueles que mais precisam, daqueles que não te conhecem e daqueles que te esqueceram. Amém.
Cantemos:
Sou Bom Pastor, ovelhas guardarei, não tenho outro ofício, nem terei. Quantas vidas eu tiver eu lhes darei.

SAÍDA DA PÁTRIA:

Leitor 1: Javé disse a Abrão: “Saia da tua terra, do meio de seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei.” (Gn 12, 1)

Leitor 2: “Deixa a tua terra!, Deus disse a Abraão. Deixar a pátria para assumir outra requer coragem e esvaziamento de si. Jesus deixou a glória, esvaziou-se de si, fez-se homem, escravo, até a morte de cruz. Eis o fundamento da saída da própria pátria. Só uma espiritualidade profunda, uma mística missionária, um amor sem fronteiras conferem condições para abraçar outro povo.

Oração:
Ó Cristo, Missionário do Pai, te pedimos por todos os missionários que estão fora de seus países, dá-lhes o entusiasmo e a perseverança, para anunciarem as maravilhas que operastes em nossas vidas. Não deixe de suscitar novas vocações missionárias, jovens e moças dispostos a anunciarem o Evangelho além-fronteiras. Amém.
Cantemos:
Vai, vai, Missionário do Senhor! Vai trabalhar na messe com amor. Cristo também, chegou para anunciar, não tenhas medo de Evangelizar!

SAÍDA DOS COSTUMES

Leitor 1: Tornei-me tudo para todos a fim de salvar alguns a qualquer custo. Tudo isso eu o faço por causa do Evangelho, para me tornar participante dele.” (1Cor 9,  22-23) 

Leitor 2: Hábitos, costumes, tradições, são realidades culturais arraigadas até em nosso inconsciente. Acostumar-se com o jeito diferente, a religião diferente, a língua diferente, é aceitar uma mudança radical. Só um amor maior dará ao missionário a coragem, a valentia, o ímpeto evangelizador necessários para sustentar a missão em fronteiras diferentes.

Oração:
Dá-nos paciência para aceitarmos e amarmos àqueles que são diferentes de nós, que pensam e agem de outra maneira, Tu nos ensinastes que eles são nossos irmãos, ajuda-nos a amá-los como a nós mesmos. Amém.
Cantemos:
Negros e brancos, índios, mestiços, de TODOS Deus é Pai. Uma só fé, um só Salvador. O mundo Evangelizai. Vinde! Vede! e  Anunciai! 

SAÍDA DOS VELHOS ESQUEMAS

Leitor 1: “É preciso que vocês se renovem pela transformação espiritual da inteligência, e se revistam do homem novo, criado segundo Deus na justiça e na santidade que vem da verdade.” (Ef 4, 23-24).

Leitor 2: “Renovai a vossa mente”, pede o apóstolo Paulo. “É preciso abandonar as estruturas ultrapassadas”, diz o Documento de Aparecida. A missão além-fronteiras tem capacidade de adaptação, inculturação, compreensão. Dispõe-se a aprender e sabe valorizar. Promove criatividade. Eis a morte mística, a descentralização de si, o esvaziamento do próprio ego e o respeito pelos dons do Espírito presentes na nova realidade. É preciso superar a pastoral da conservação para uma evangelização missionária.  

Oração:
Dá-nos, Senhor, força para abrirmos mão dos nossos interesses. Que a nossa presença na comunidade seja de alegria, serenidade e amor. Que sejamos dispostos a aprender o novo e a nos colocarmos nos últimos lugares, como aqueles que servem. Amém.
Cantemos:
Vinde ó irmãos adorar! Vinde adorar o Senhor! A Eucaristia nos faz Igreja, comunidade de Amor!

SAÍDA DESTA VIDA

Leitor 1: Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. Pois, quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; mas quem perde a sua vida por causa de mim e da Boa Notícia, vai salvá-la” (Mc 8, 34-35).

Leitor 2: O missionário oferece a vida, abraça a cruz até o martírio, isto é, aceita morrer, aniquilar-se, desgastar-se em favor da missão. Todo missionário faz um ato de fé radical na ressurreição e na esperança da glória. A Pátria mais longínqua e a viagem mais longa são as que nos levam à pátria definitiva. Para a missão além-fronteiras, o céu, a glória, a salvação, constituem a maior motivação missionária. Missão é salvação, cuja pátria definitiva é a vida eterna.

Oração:
Jesus, no Pão Eucarístico, Tu nos ensinas que somente dando vida é que

podemos encontrá-la realmente. Fazei-nos dóceis ao Espírito, dispostos a nos tornarmos oferendas vivas de amor, àqueles que mais precisam de nós. Amém. 

Cantemos:
Cristo quero ser instrumento de tua paz e do teu infinito amor, onde houver ódio e rancor, que eu leve a concórdia que eu leve o amor. Onde há ofensa que dói que eu leve o perdão, onde houver a discórdia que eu leve a união e tua paz.

Oração final: Senhor Jesus, presente em nosso meio na forma de Pão Eucarístico, dá-nos o dom de sermos discípulos missionários do teu Reino. Sabendo que Missão é:

”Partir, caminhar, deixar tudo, sair de si, quebrar a crosta do egoísmo que nos fecha no nosso eu. É parar de dar volta ao redor de nós mesmos como se fôssemos o centro do mundo e da vida. É não se deixar bloquear nos problemas do pequeno mundo a que pertencemos: a HUMANIDADE é MAIOR. Missão é sempre partir, mas não devorar quilômetros. É sobretudo, abrir-se aos outros como irmãos, descobri-los e encontrá-los. E se para encontrá-los e amá-los é preciso atravessar os mares e voar lá nos céus, então... MISSÃO É PARTIR ATÉ OS CONFINS DO MUNDO.” 
(D. Helder Câmara).

Nenhum comentário:

Postar um comentário